sábado, 9 de outubro de 2010

Nilton Resende

http://trajeslunares.wordpress.com/prosa-2/diabolo-contos/a-ceia/

a ceia


MORDO O BISCOITO QUE LEVEI VAGAROSO À BOCA, e ele quebrando-se é como ossos que se esmagam. Trituro-o e imagino desfazer-se a rede desenhada em sua superfície, lembrando-me o jogo que meu avô me ensinou e para o qual me convidou em tantas tardes. Biscoito, rede, ossos triturados. Mordo e sinto mastigar o velho, as migalhas saindo pelos cantos como se uns dedos tentassem escapar.

Xolotl Polo

conheça mais

Santiago Cao

canheça a obra

domingo, 2 de maio de 2010

terça-feira, 13 de abril de 2010

saca só o som desse instrumento!

segunda-feira, 12 de abril de 2010

PHILL (RETRATO A SANGUE)

quarta-feira, 31 de março de 2010

O grupo Pilobulus em dança

sexta-feira, 26 de março de 2010

Video de Glauber X (MCZ)

Kazuo Onno

segunda-feira, 8 de março de 2010

dog dinner

video

video sem nenhuma informação, recebido pela net.

sábado, 6 de março de 2010

terça-feira, 2 de março de 2010

GOG


segunda-feira, 1 de março de 2010

Entrevista com Slavoj Zizek

parkour!!!

domingo, 28 de fevereiro de 2010

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

domingo, 21 de fevereiro de 2010

O cara é brasileiro...


interação - música/video

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

MIsha Gordin - fotos

Conheça a artista: http://bsimple.com/home.htm

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Peter Callesen - Iinstalações

Não pensem que esse post é igual ao anterior.Estas não são mini Esculturas e sim instalações.São as obras mais conhecidas de Peter Callesen.



Um exemplo é este castelo. o papel é na verdade cartão com 350 gr/m2, a base é uma folha retangular com 6 metros de comprimento e o castelo mede 3 metros de altura.
















Fonte:http://obviousmag.org

Peter Callesen

Folhas de papel A4 são o meio mais comun de comunicação por isso Peter Callesen decidiu transformar folhas em pequenas esculturas.


























Sempre acheique as nossas idéias tem inicio nos papeis para depois se tornarem “palpáveis”. No caso de Peter Callesen o A4 é o mais que palpável. Bem mudei o meu ponto de vista.]

Fonte:http://obviousmag.org

Picasso 3D- Por Lena Gieseke





Guernica é um painel pintado por Pablo Picasso em 1937 por ocasião da Exposição Internacional de Paris. Foi exposto no pavilhão da República Espanhola. Medindo 350 por 782 cm, esta tela pintada a óleo é normalmente tratada como representativa do bombardeio sofrido pela cidade espanhola de Guernica em 26 de abril de 1937 por aviões alemães, apoiando o ditador Francisco Franco. Actualmente está no Centro Nacional de Arte Rainha Sofia, em Madrid.

Composição

A pintura foi feita com o uso das cores preto e branco - algo que demonstrava o sentimento de repúdio do artista ao bombardeio da cidadezinha espanhola. Claramente em estilo cubista, Picasso retrata pessoas, animais e edifícios nascidos pelo intenso bombardeio da força aérea alemã (Luftwaffe), já sob o controle de Hitler, aliado de Francisco Franco.

Morando em Paris, o artista soube dos fatos desumanos e brutais através de jornais - e daí supõe-se tenha saído a inspiração para a retratação monocromática do fato.

Sua composição retrata as figuras ao estilo dos frisos dos templos gregos, através de um enquadramento triangular das mesmas. O posicionamento diagonal da cabeça feminina, olhando para a esquerda, remete o observador a dirigir também seu olhar da direita para a esquerda, até o lampião trazido ainda aceso sobre um braço decepado e, finalmente, à representação de uma bomba explodindo.

Fonte: Wikipedia




Então Surgiram novas percepções diante do Guernica 3D?

Mais Poesia

Conhecimento é uma coisa tosca mesmo. Uma coisa leva a outra.Eu Queria tudo instantâneo.Um Miojo.Tudo ligadinho.A merda é que esse Fio de macarrão seja mesmo infinito.
Isso me faz pensar...Qual a ligação entre Hilda Hilst e Velázquez?Essa ta facil.Hein porra qual é?Esta no blog...Pensa ai.É o que?Tu é viado é?Hein?!Vai te fuder!Ai dentro!Não sabe não é?!


O Anão Triste

De pau em riste
O anão Cidão
Vivia triste.
Além do chato de ser anão
Nunca podia
Meter o ganso na tia
Nem na rodela do negrão.
É que havia um problema:
O porongo era longo
Feito um bastão.
E quando ativado
Virava... a terceira perna do anão.
Um dia... sentou-se o anão triste
Numa pedra preta e fria.
Fez então uma reza
Que assim dizia:
Se me livrasses, Senhor,
Dessa estrovenga
Prometo grana em penca
Pras vossas igrejas.
Foi atendido.
No mesmo instante
Evaporou-se-lhe
O mastruço gigante.
nenhum tico de pau
Nem bimba nem berimbau
Pra contá o ocorrido.
E agora
Além do chato de ser anão
Sem mastruço nem fole
Foi-se-lhe todo o tesão.
Um douto bradou: Ó céus!
Por que no pedido que fizeste
Não especificaste pras Alturas
Que lhe deixasse um resto?
Porque pra Deus
O anão respondeu
Qualquer dica
É compreensão segura.
Ah, é, negão?
Então procura.

E até hoje
Sentado na pedra preta
O anão procura as partes pudendas...
Olhando a manhã fria.

Moral da história:
Ao pedir, especifique tamanho
Grossura quantia.

Hilda Hilst






Da mesma Forma Diego Velásquez me levou a uma nova versão de sua própria obra "As meninas".Versão do Joel Peter Witkin.É um lance quase que espiritual.E seria se não fosse o Blog http://silencio.weblog.com.pt/




Blog são legais!

O Terrorista-13: 20-Tudo tem ligação?


O Terrorista- ele está a ver



A bomba vai explodir no bar às treze e vinte.
São só treze e dezasseis.
Alguns ainda vão a tempo de entrar;
outros de sair.


O terrorista passou para o outro lado da rua.
A esta distância fica a salvo de todo o mal
e vê tudo como no cinema:


Uma mulher de casaco amarelo - ela entra.
Um homem de óculos escuros - ele sai.
Rapazes de jeans - eles trocam impressões.
Treze horas, dezassete minutos e quatro segundos.
O mais baixo - ele tem sorte, monta na dcooter,
mas o mais alto - ele entra.
Treze horas, dezassete minutos e quarenta segundos.
Passa uma rapariga de fita verde no cabelo.
De repente, desaparece atrás do autocarro.
Treze e dezoito.
A rapariga já não se vê.
Terá sido estúpida ao ponto de entrar?
Logo se vê, quando retirarem os corpos.



Treze e dezanove.
Ninguém parece querer entrar.
Em contra-partida sai um careca gordo.
Remexe os bolsos como se procurasse algo
e quando faltam dez segundos para as treze e vinte –
ele volta por umas reles luvas que esqueceu.



São treze e vinte.
O tempo, como ele demora.
Está na hora.
Ainda não.
Sim, já está.
A bomba - ela explode.


Polónia - Wislawa Szymborska (1923)
Tradução:Elżbieta Milewska e Sérgio das Neves)




Frequência 13:20
A freqüência 13:20 é a freqüência natural para todos os seres de todos os pontos da galáxia, em que se vive em harmonia com a natureza e, por isso, nada lhes falta e não há desequilíbrio entre eles.

Ela é 13:20 porque é formada por ciclos naturais, sendo os dois principais o 13 e o 20, que representam os 13 tons galácticos da criação e as 20 freqüências solares, que são os 20 selos das 20 tribos solares. É preciso respeitar os ciclos naturais se quisermos viver em harmonia com a natureza e 13:20 é a nossa freqüência natural.



Frequência 12:60

É nesta freqüência, que é uma freqüência artificial do tempo, que está vivendo o ser humano.

Ela é produzida pelo calendário gregoriano que nos rege em nosso dia a dia e que tem 12 meses irregulares, com números diferentes de dias nos meses (como 28, 29, 30 e 31, que não representam os ciclos naturais) e pelo relógio mecânico, agora digital, que nos mantêm prisioneiros na terceira dimensão, marcando horas de 60 minutos.

Estes foram os ingredientes que nos tiraram da nossa freqüência natural (que é 13:20 e não 12:60), após tantos anos de utilização dos mesmos.

A conseqüência, para o ser humano, de viver fora da sua freqüência natural, é que somos os únicos seres do planeta que precisamos pagar para nascer, pagar para viver e pagar para morrer, o que não acontece com as demais espécies.

Com isso criamos uma sociedade completamente materialista, dominada pelo dinheiro, pelas máquinas, pelas bolsas de comércio e outras, e somos nós que estamos provocando todos os tipos de desequilíbrios existentes, como guerras absurdas; contaminação atmosférica criminosa; produção de armas e bombas destrutivas para matar nossos próprios irmãos; desigualdades sociais gritantes; utilização de drogas que causam dependência física e psíquica; consumismo absurdo, com desperdício criminoso de recursos naturais; construção de cidades gigantescas, que se tornam cada vez mais inabitáveis e todos os demais problemas que conhecemos.



Como nos sintonizamos com a Frequência 13:20? É aqui que entra o Calendário da Paz.

Ele é um calendário regular, harmonioso, que respeita os ciclos naturais. É formado por 13 períodos anuais, os quais, ao invés de meses, são chamados de luas, e todos eles tem 28 dias cada um, que é o ciclo biológico natural. O grande exemplo do ciclo biológico natural é o ciclo menstrual da mulher, que dura 28 dias. Este calendário respeita isso. Os nomes das treze luas são: Lua Magnética do Morcego, que vai de 26/7 a 22/08 do calendário gregoriano; Lua Lunar do Escorpião, que vai de 23/08 a 19/09 do calendário gregoriano; Lua Elétrica do Veado, que vai de 20/09 a 17/10 do calendário gregoriano; Lua Auto-Existente da Coruja, que vai de 18/10 a 14/11 do calendário gregoriano: Lua Harmônica do Pavão, que vai de 15/11 a 12/12 do calendário gregoriano; Lua Rítmica do Lagarto, que vai de 13/12 a 09/01 do calendário gregoriano; Lua Ressonante do Macaco, que vai de 10/01 a 06/02 do calendário gregoriano; Lua Galáctica do Falcão, que vai de 07/02 a 06/03 do calendário gregoriano; Lua Solar do Jaguar, que vai de 07/03 a 03/04 do calendário gregoriano; Lua Planetária do Cachorro, que vai de 04/04 a 01/05 do calendário gregoriano; Lua Espectral da Serpente, que vai de 02/05 a 29/05 do calendário gregoriano; Lua Cristal do Coelho, que vai de 30/05 a 26/06 do calendário gregoriano, e Lua Cósmica da Tartaruga, que vai de 27/06 a 24/07 do calendário gregoriano.

Neste calendário estão os dois aspectos do tempo: o físico ou material e o espiritual.

Aspecto físico: são os dias da semana e os dias de cada lua. Aspecto espiritual: são as energias solares e galácticas que se fazem presentes a cada dia, formadas por cinco dos 20 selos solares e por um dos 13 tons galácticos.

http://calendariodapaz.com.br/homeSementeAutoExistenteAmarela/index.php

É importante visualizar o quadro de cada dia das treze luas do calendário, dia por dia, contemplando os selos e o tom que se encontram presentes, informando-se sobre o que cada um representa, e também é preciso ler e refletir sobre o texto do kin do dia, pois é assim que você acessa o fluxo natural do tempo quadridimensional, a quarta dimensão, e entra na sincronicidade.

O tempo, como 4ª dimensão, é a conexão entre o domínio físico da 3ª dimensão e o domínio espiritual da 5ª dimensão. No entanto, o tempo tem ambos os aspectos: físico e espiritual. O atual calendário de 12 meses não possui, em absoluto, nenhum aspecto espiritual e o seu aspecto físico é incorreto. Os maias antigos eram mestres do tempo. Seu sistema de calendários permanece como a mais exata medida de tempo jamais inventada.

A antiga cultura maia vivenciava o tempo tanto sob o aspecto físico quanto sob o aspecto espiritual. Sua compreensão do tempo ultrapassava qualquer entendimento que temos atualmente. Este calendário é baseado na percepção do tempo assimilada pelos Argüelles em razão de seus estudos sobre os antigos Maias. Cabe ressaltar, no entanto, que este não é o calendário maia. Nem tampouco constitui-se numa tentativa de reviver a cultura maia. De acordo com o Dr. Argüelles, este calendário constitui-se na “nova dispensação do tempo”. Portanto, trata-se de um calendário galáctico, para toda a humanidade, que serve para a sincronização dos seres humanos no tempo natural.


Quem quiser saber mais sobre o assunto, interpretar os sinais do calendário ou até mesmo segui-lo fica aqui o link: http://calendariodapaz.com.br/AnoTormen ... /index.php


Terrorista 13:20
Homem Freqüência
Fé Natural
Deus Natureza
Paraíso Animais
anjos Homem
Trombeta boca
DIDGERIDOO







A relação entre o Terrorista e 13:20 são os DidGeridoos.Que nos levam a Olive tree dance e a sua musica 13:20.Que é a freqüência natural das coisas que nos eleva ao verdadeiro sentido da coisa:

A PAZ

http://www.optimusdiscos.com/discos/urbano-roots



The holy Mountain




Porquê todos nós gostamos...

A Montanha Sagrada(porDaniel Caetano):
A tecnologia é uma construção de mundo e uma ilusão de mundo. E o surgimento do cinema tornou evidente o uso da tecnologia para a construção e disseminação de ícones. Ícones, antes de seu sentido espiritual, são construções artísticas – “a poesia antecede todas as religiões e sobrevive a elas” (essa é de Paz). Se a tecnologia nos permite vislumbrar o mundo com novos olhos, capazes de enxergar o que antes não podiam, também nos faz crer que podemos dominar as coisas. Mas as coisas são mais do que as coisas.

É isso que move A Montanha Sagrada: sempre sob a sombra do profano, uma construção mítica (logo, poética) e visualmente impressionante, dá a ver símbolos de diversas religiões e crenças (“todas as religiões são uma”, segundo Blake). O que move o cinema é a chance de ver. Onde outros propõem obras, este filme não pretende senão procurar o espírito.
A Montanha Sagrada estrutura essa sua busca com a estratégia da apreensão (ou, diríamos aqui no Brasil, do sincretismo antropofágico). Todos os símbolos apontam para um só caminho – tudo depende do uso que se faz deles. A Montanha Sagrada, disse o diretor Alejandro Jodorowsky, foi feito com a ambição de mudar os caminhos da espécie humana. Como toda obra que concilia a poesia e a religiosidade, pretende unir fala e mundo, palavras e coisas. “Se o cinema não for feito para traduzir os sonhos ou tudo aquilo que na vida desperta assemelha-se ao domínio dos sonhos, o cinema não existe” (para Artaud).
Não se trata apenas de digerir e reconstruir o universo surrealista: o movimento de liberdade que faz A Montanha Sagrada vai além da pretensão estetizante da atmosfera onírica; este movimento ambiciona antes reorientar as ambições da criação cinematográfica. É um movimento que antecede e sobrevive a contextualizações políticas e sociais – como um novo totem, o filme ganha sentido por sua própria existência. É comum a todas as crenças a fé na força espiritual da fala ou da manifestação: seja no candomblé ou no cristianismo, as palavras e as imagens têm força própria. É isso que o cinema pode ser e mostrar: “O espírito insurge-se contra toda representação. Essa espécie de poder virtual das imagens vai buscar no fundo do espírito possibilidades até agora não utilizadas. O cinema é essencialmente revelador de toda uma vida oculta, com a qual nos coloca diretamente em contato. Mas essa vida oculta, é preciso saber adivinhá-la. Existe algo muito melhor que um jogo de superposições para fazer adivinhar os segredos que se agitam no fundo de uma consciência. O cinema, em estado bruto, tomado tal qual é, no abstrato, libera um pouco dessa atmosfera de transe muito favorável a certas revelações” (Artaud de novo). E no final da A Montanha Sagrada a revelação é ela mesma, em si.
Assim, quando imagens, sons e palavras podem ganhar permanência para além de um instante, elas assumem a feição da força que as criou: é o que assemelha a poesia ao totem. É isso o que altera os lugares e tempos, segundo a fé. É desse modo que a própria existência de A Montanha Sagrada torna-o uma empreitada bem-sucedida: o mundo e o cinema se tornam outros por sua existência.
O efeito de sua conciliação apaixonada de beleza e humor ecoa como uma prece a um só tempo autêntica e independente. Em favor de um novo cinema – um novo mundo – para um novo olhar.



Biografia

Alejandro Jodorowsky nasceu em Iquique, Chile em 7 de Fevereiro de 1929. Em 1942, mudou-se para Santiago para estudar na universidade. Nessa época já trabalhava como palhaço de circo e artista de marionetes.

Em 1955 mudou-se para Paris onde estudou mímica com Marcel Marceau. Trabalhou com Maurice Chevalier e fez seu primeiro filme, "La Cravate", até pouco tempo dado como perdido. Também em Paris ele conheceu Roland Topor e Fernando Arrabal, e juntos criaram o Moviment Panique em 1962.

O grupo multimídia, que homenageava o deus grego Pan, fazia performances ao vivo misturando teatro de vanguarda, literatura e cinema. Nesse período, Jodo- rowsky escreveu diversos livros e peças teatrais. No final dos anos 1960, dirigiu peças de vanguarda em Paris e na Cidade do México. Também criou a tira de história em quadrinhos "Fabulas Panicas", e fez seu primeiro filme "de verdade" - Fando y Lis, em 1967, baseado em uma peça de Arrabal.

Em 1971, Jodorowsky lançou "El Topo", um faroeste surrealista criativo e vanguardista. Graças a seu mais ilustre fã, o beatle John Lennon, o filme foi foi muito comentado e distribuído na América, alcançando status de "cult". Em 1973, lança "The Holy Mountain".

Em 1975, retorna à França, onde tenta fazer uma versão cinematográfica do romance "Duna", de Frank Herbert, que teria a participação de Orson Welles e Salvador Dali, trilha sonora de Pink Floyd, e a colaboração visual dos artistas H. R. Giger, Dan O'Bannon e Möebius. O financiamento do filme foi retirado, e o romance acabou sendo filmado nos Estados Unidos por David Lynch.

O próximo filme de Jodorowsky foi Tusk, de 1978, a história da amizade entre uma garo- ta e um elefante.

No início dos anos 1980, Jodorowsky de- dica-se a escrever histórias em quadrinhos, em diversas parcerias, a mais famosa delas com Moebius, e também continuou escre- vendo livros.

Em 1989 volta ao cinema com "Santa San- gre", que foi muito elogiado pela crítica e teve boa distribuição. Em 1990 dirigiu Oma Shareef e Peter O'Toole em "The Rainbow Thief".

Ao longo dos anos 1990, Jodorowsky continuou escrevendo, produzindo quadrinhos, e disse estar interessado em produzir um filme chamado "Os Filhos de El Topo". Atualmente trabalha na produção de "King Shot", filme produzido por David Lynch.




http://www.contracampo.com.br/91/artjodofabian.htm
http://www.contracampo.com.br/91/artjodopolitico.htm
http://www.contracampo.com.br/90/artjodoentrevista2.htm
http://www.contracampo.com.br/90/artjodoentrevista.htm
http://www.contracampo.com.br/90/artjodomonologo.htm
http://revistazingu.blogspot.com/2008/01/dj-conferenciasobrecinema.html
http://revistazingu.blogspot.com/2008/01/dj-conferenciasobrequasrinhos.html

love for sale!

Pra falar de consumo:

domingo, 7 de fevereiro de 2010

o Zé e o Ciso


Leiam o texto e me digam o que vocês consomem:

ESSAS coisas Todas. Os mesmos livros filmes de sempre entranhados no seu subconsciente. Só no subconsciente?O que você é? Ao redor sua gente: maridosmulhrescasosmãepaifilhos e amigos. CASA!!!TRABALHO!!RUAS!!!TEATRO!!ENERNGIA QUE DA GOSTO!!Enlatados americanos. Carboidratos biscoitos, massas Macarrões, pães. Aqui só as proteínas: carnes leites,moças meninos rapazes frutas,mulheres frutas,ou no queijo mesmo, mulheres de todos os tipos e cores de pirulitos e periquitos ,não existem guloseimas melhores que estas!SEXO E ESTOMAGO!!! O que esta consumindo?O que você é? -Você é o que consome!?!?!?!? O que você consome?!!

Reflitam ,Escrevam sobre isso,Leiam e releiam o que escreverem sem se importar com qualidade do que escreveram.O importante é vomitar no papel o que vier na cabeça.depois deixem que imagens do texto construído por vocês venham a cabeça.Escolham gestos.Escolham um objeto.imaginem o texto falado.vomitado.imaginem isso sendo encenado.Anotem tudo.
Levem esse texto e objeto na quarta.Para um exercício que nós iremos fazer.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Ações para salvar.


NISSO - Paula
Vamos brincar de Boneca? - Natasha
Lata Dágua - Jau
Doi? - Paula
Isso eu posso isso eu não posso - Jau
Não sei falar - Atton

Amor por Marcelino Freire!



pesquisa do Atton.

QUE TAL O NOVO NOME?

APROVAM?

Tudo o que você consome!

mu
Video dos musicos loucos do "OliveTreeDance" vale a pena sacar.Sobre o que falar?isso é importante também...Eu me esquece.Deve estar no titulo...

nossas conversas de hoje: Atton, Paula e Jorge

logo que cheguei em casa vi essa mensagem:


E cada pessoa é um mistério tão infinito, inesgotável, insondável, que não é possível que alguma vez você possa dizer: eu a conheci, ou o conheci.

No máximo você poderá dizer: fiz o possível, mas o mistério permanece um mistério.

Na realidade quanto mais você conhece, mais misterioso o outro se torna. Então o amor é uma constante aventura.

Osho, em "The book of wisdom"

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Beckett Curta.Digo...Curtam!




Este curta vem de um texto famosíssimo do grande Samuel Beckett.que foi escrito entre 1962 e 1963.Esse é um curta dirigido por Anthony Minghella.É mais uma das milhões de versões desta peça/encenação só que desta vez para o cinema .Vejam como é louca a maneira com que eles usam a voz.Para quem saca de inglês e para quem não saca não é só carnaval. Eu passo mão na saca saca saca rolha!!!E bebo até me afogar !!!Deixa as águas rolar!!!


Parte 1:

Parte 2:



E aqui o texto em inglês:
http://www.drama21c.net/text/play.htm

Enjoy!

sábado, 23 de janeiro de 2010

conheça a obra de Xolotl Polo




http://www.xolotlpolo.com/

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

e pra quem não conhece aí vai um panorama da cia.ltda.



agradecimentos a todos os nossos fotografos: Coco, Denis, Renata, e o pessoa da cia.
jorge

estudo da forma

Numa manha do ultimo mês, saí pela praia, pensando nas formas...



jorge

Curta tudo a ver


Os universos não são universos.O motivo pelo qual universos não são universos é que qualquer universo em particular não chega exatamente a ser uma coisa, mas sim uma maneira de compreeder o que é conhecido tecnicamente como MGTC,Mistureba Generalizada de Todas as Coisas. A Mistureba Generalizada de Todas as Coisas também não existe na prática - é apenas a soma total de todas as maneiras diferente que haveria para compreedê-la,caso existisse uma.
Não significa nada.Você pode fatiar a Mistureba Generalizada de Todas as Coisas do jeito que quiser e geralmente vai acabar com algo que alguém vai chamar de lar.
Por favor, sinta-se á vontade para enlouquecer agora.

-Douglas Adms-Praticamente Inofenciva.

O nome do Blog me lembrou esse texto.

Estou aqui para postar esse curta que me remeteu muito ao exercicio final do dia de quarta.O Video se chama "Tango" do Cineastra Zbigniew Rybczynski .
SINOPSE: Um tango absurdo do cotidiano: Trinta e seis personagens interagem em um quarto apertado; curta com 8 minutos.
Vocês baixam em menos de 2o min.E é só ter o midea player para assistir.

Link:
http://www.megaupload.com/?d=B5HCQZ7F

Agradecimentos ao http://cinemacultura.blogspot.com

Enjoy!E comentem.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Tá pronto

Pessoal, o massaroca [gostei do nome, ficou na minha cabeça, quem não gostou reclame, lero lero] está feito.

Sintam-se à vontade para deixar suas impressões, registros, referências... o blog é nosso.

Até sexta [29/01], 14 hrs.